londonbeadco.mobi

Baixar Arquivos

BAIXAR MUSICA FELICIDADE - DEDOS DE DAVI


Dedos de Davi - Felicidade (Letra e música para ouvir) - Felicidade é ter Cristo ao meu lado / E por ele ser guardado / Ter meu nome escrito no céu / Meu nome . Felicidade é ter Cristo ao meu lado / E por ele ser guardado / Ter meu nome escrito no céu / Meu nome está / Escrito nas mãos do meu Jesus / Quando morreu. Dedos de Davi - Obrigado Jesus (Letras y canción para escuchar) - Eu agradeço oh meu Jesus pelo perdão / Por nossas vidas e sua grande proteção / Sou.

Nome: musica felicidade - dedos de davi
Formato:ZIP-Arquivar (MP3)
Sistemas operacionais: Android. iOS. MacOS. Windows XP/7/10.
Licença:Grátis (* Para uso pessoal)
Tamanho do arquivo:2.73 Megabytes

DAVI DE MUSICA FELICIDADE BAIXAR DEDOS -

Diante do Trono - Quero me Apaixonar. Neto - Quando eu cheguei aqui J. O abandono do pecado deve ser permanente. Narciso Lucena - E sua Harpa Vol. Ronaldo Bezerra - Tu és Santo. Este primeiro episódio trata do início do Adventismo em Optaram por Piaget. Um quer operar a catarata, o outro, a vesícula, todos me entopem de remédios. Banda Black Rio - Carrossel. Cadê o pó de vidro? Descubra como evitar se perder pelos caminhos desta vida e como evitar o terrível e medonho ataque dos fofos Gremlins!

Felicidade é ter Cristo ao meu lado / E por ele ser guardado / Ter meu nome escrito no céu / Meu nome está / Escrito nas mãos do meu Jesus / Quando morreu. Dedos de Davi - Obrigado Jesus (Letras y canción para escuchar) - Eu agradeço oh meu Jesus pelo perdão / Por nossas vidas e sua grande proteção / Sou. 10 CD´s gravados. Para quem gosta de música no estilo sertanejo com excelente qualidade, não pode deixar de baixar. DEIXE SEU COMENTÁRIO. às Músicas nas rádios brasileiras só falam de pegação. Por quê? Promotora Até um simples estalar de dedos. Talvez você . Bruninho & Davi. FELICIDADE não está no que vemos e sim como olhamos o que vemos. Valmira de .. Baixar Musicas Gospel - Baixar Musicas Grátis - Baixar Musicas no Celular Esse é o clipe oficial "Deus de Promessas", do Davi Sacer com participação da Simone. .. Como Soltar os Dedos e Fazer Acordes com Precisão no Violão?.

Deus é transcendente, mas ele é também imanente. Ele é grandioso e glorioso, mas ele é também generoso. Ele é Senhor Deus, mas é também Pai de amor. É isso o que Davi celebra. Deus nos abençoou na forma como ele nos criou v.

A presença cuidadora e abençoadora de Deus devem ser celebradas pelo seu povo. Todos eles expressando alegria e felicidade a Deus e em Deus.

Felicidade

At Seja daqueles que desfrutam de tudo o que Deus é e faz, que conhecem e que celebram a grandeza, a glória e a generosidade do Senhor soberano e Pai amoroso em Cristo Jesus. Leandro B. Morte lenta ao luso infame que inventou a calçada portuguesa. Maldito d. Manuel I e sua corja de tenentes Eusébios. É claro que ia soltar, ninguém reparou que ia soltar?

Branco, preto, branco, preto, as ondas do mar de Copacabana. De que me servem as ondas do mar de Copacabana? Mania de mosaico. Joga concreto em cima e aplaina.

Buraco, cratera, pedra solta, bueiro-bomba. A queda é a maior ameaça para o idoso. A queda separa a velhice da senilidade extrema. O tombo destrói a cadeia que liga a cabeça aos pés. Adeus, corpo. Da poltrona para a janela, da janela para a cama, da cama para a poltrona, da poltrona para a janela.

Um dia. Morreu no seguinte. Que horror estava o Caju, aquele forno de Auschwitz. As tumbas pareciam derreter. Estava ótimo, o Ribeiro. Eu tinha certeza de que ele ia me enterrar, corria, nadava, parou de fumar aos quarenta e se recusou a ficar brocha. Comeu muita gente o Ribeiro, ele dava muita importância para isso. Antes dele foi o Sílvio. Ou o Ciro?

Vai entender. Pensar que a Célia foi uma noiva gostosíssima. Devia ter morrido ali, no auge. Homem é um bicho muito bobo. O Sílvio partiu num fevereiro de Carnaval. Ele abriu os trabalhos na sexta e emendou dez dias virado. Ele conheceu umas gurias novinhas do Sul, libidinosas, traficas, e virou escravo das duas. Deus mandou duas diabas frígidas para acabar com a raça dele.

Foi castigo. Que ano foi isso? Hoje, levo quarenta. Andar deixou de ser um. Tudo dói, pelas razões mais diversas, todas condizentes com a velhice. O Mattos me mandou para mais de dez especialistas. Um quer operar a catarata, o outro, a vesícula, todos me entopem de remédios. Queria ver um deles encarar a faca. Fezes caninas. Ainda denuncio a bruxa do por maus-tratos.

Considero humilhante recolher cocô com saquinho. Infelizes, carentes, sujos. Quatro cachorros e um gato. O primeiro morreu de velho, cego, manco e fedido. Os outros cachorros definharam por motivos diversos, todos horrendos: cinomose, tumor e veneno.

Oliveira Verdadeira

Nunca mais confiei nela. Moram longe, melhor para eles. Acho que só tive um caso com a Marília para ter para onde ir depois do trabalho. Nunca fui chegado a taras. Gostava na hora, mas tinha preguiça de começar. Nada mais exaustivo do que administrar encontros e expectativas. Um mau casamento pode ser ótimo para ambas as partes, e o meu foi assim. A Irene abstraiu das tentações e eu também, vivíamos confortavelmente em dois quartos, tudo muito triste e civilizado. Desconfio que foi a adolescência da Rita que tirou a Irene do prumo.

Tive que parar de nadar na piscina, eu gostava muito daquela piscina, mas a titular era ela. Eu me descobri sozinho, sem culpa, porque. Toda mulher é ingênua. Comecei a ficar brocha com a Aurora, a segunda mulher que arrumei depois da Irene.

Sofri uns bons anos, até que relaxei. Adeus, hormônios, adeus, garotas, adeus, silêncio penoso no quarto, adeus, olhos piedosos. Serei franciscano. Fiquei com orgulho deles. Ela queria que eu o convencesse a deixar ela quieta. Abri a porta do quarto, tudo fechado, ele na cama de mau humor. A esclerose fez do meu pai um homem paranoico, ciumento e delirante, que acusava a mulher de ter pulado a cerca com uma lista extensa de homens que conviveram com eles desde o casamento.

Logo ela, que guardou a virgindade e nunca se atreveu a querer ninguém. Joguei a pistola no mar. A Irene devia ter casado com ele. Estariam trepando até hoje. Olha a bicicleta! Todo ciclista é assassino, suicida e assassino. Me olho no espelho e vejo a tia Suzel. Culpa do estrogênio, me explicou o Mattos, que deixa os velhos com cara de velhas e as velhas com cara de velhos. Tia Suzel morreu solteira e virgem, com oitenta e seis anos.

Desses, vinte e seis ela passou abanando o bafo quente do Andaraí com a ventarola, repetindo que queria morrer. Dava vontade de fazer a vontade dela. Uma tarde, Suzel caiu da escada — a queda — e nunca mais rejuntou. Ela morava com a sobrinha num prédio de três andares sem elevador. Hoje, me visita no espelho.

Calor sudanês. Fritei muito ovo no paralelepípedo da Penha da minha infância. Desde que eu me conheço por gente que o mundo vai acabar. Guardo uma lembrança embaçada dos efeitos da testosterona. Nunca fui muito ativo.

Eu e o Ribeiro saíamos muito, bebíamos demais, demais. Troquei o dia pela noite, engordei, criei uma barriga dura, sustentada por dois gambitos e um pescoço curto que equilibra a careca lustrosa. Hoje, estaria preso. Sempre achei que o Ribeiro fosse imortal.

Ninguém é. Em dez anos todos fizeram o mesmo. O Neto encarou a Célia até o fim. Eu tenho medo de dar palpite sobre a cor da pele das pessoas. Até Monteiro Lobato, que é o Monteiro Lobato, foi tachado de racista. Ele achava que o casamento conferia status. É racismo? Que seja, dane-se Zumbi.

Acho que tem a ver. A Irene ficou com a casa e eu com o carro. Na volta, a gente parava num daqueles motéis e via um filme pornô. Quando eu conseguia, repetia o feito. Eu ainda gostava de sacanagem naquela época, mesmo brochando. Foram as mulheres que me fizeram perder o interesse. Eu nunca dei trela. Gostava do Neto, do Ciro, do Sílvio e do Ribeiro. Opa, abriu. Esse sinal demora uma eternidade para abrir e dois segundos para fechar.

Ainda falta um terço de faixa e essa porcaria fecha? Calcularam com quem esse tempo? Com o Ligeirinho? O que é? Vai passar por cima? Passa, desgraçado, parte o meu joelho ao meio com o seu farol de milha. Bueiro, calçada alta, fedentina, argentinos. Futebol, o dia inteiro. Adoro mesa-redonda.

Parei no videocassete, minto, tenho um DVD que veio de brinde com a TV de quarenta polegadas, mas nunca me entendi com o controle remoto. Antes, eu alugava um filme ou outro no caminho do consultório do Mattos, mas fecharam a locadora.

Tive a sorte de envelhecer fumando. Dane-se a humanidade. Desvio de obra. Como gostam de obra. Como é que esse pobre aguenta? Vai morrer cedo. Eu nunca encarei a morte como uma possibilidade. A morte é uma doença crônica.

O Sílvio era magro, elegante e mau. Muito mau. Ele se suicidou naquele Carnaval. Tem muitos jeitos de o sujeito fazer isso.

Mas era só trocar duas frases com o Sílvio para elas gamarem à loucura. Mulher adora ser maltratada. Isso foi no início. Com trinta e dois, o Sílvio casou com a Norma e a batida acalmou. Para piorar, a sogra do Sílvio foi morar com eles. A casa virou um Muro das Lamentações. Era choramingo, novela à noite e criança enchendo o dia inteiro: banho de criança, purê de criança, brinquedo de criança, meleca de criança, escola de criança, cocô de criança.

Ele perdeu a paciência, enfiou o mais velho num internato em Petrópolis, de onde o menino só saía para dar uma pinta no Natal, botou a sogra para cuidar do menor, se despediu da Norma e se mandou para a garçonnière que mantinha na Glória. O Sílvio era da orgia. Bebemos à partida. Bebemos muito, numa festa no Leme, e tomamos umas bolas, também, que o Sílvio apresentou.

Ele queria ensinar a gente a viver. Quando amanheceu, fomos expulsos, eu, o Ribeiro, o Neto, o Ciro e o Sílvio. O Sílvio propôs uma esticada na batcaverna dele. O Ciro se trancou no quarto com a argentina, o Ciro sempre soube fazer as coisas.

DE DEDOS MUSICA FELICIDADE DAVI - BAIXAR

Brochei gloriosamente. Tomei um café preto na padaria e desabei no tapete do corredor. Fiquei vinte e uma horas fora do ar.

Toda amizade masculina carrega um quê de veadagem. Talvez o Ciro. O Ciro, definitivamente. O Ciro passava o rodo. As mulheres só faltavam esfregar a xoxota na cara dele.

O Ciro conheceu a Ruth na festa do Juliano e botou na cabeça que ia casar na igreja, com bolo, madrinha, véu e grinalda. Ele ficou alucinado com a Ruth. Ela era bonita mesmo, e inteligente, e sexy.

O Ciro acreditou que o grande amor lhe abriria as portas da monogamia. Foi aí que ele começou a brigar com ela, briga feia, sem motivo. Por coisa nenhuma fazia as malas e saía batendo a porta.

A Ruth enlouquecia, faltava ao emprego, emagrecia, e ele também. Dava uma semana, ele voltava e os dois fodiam como se tivessem acabado de se conhecer. Funcionou por uns anos, ele voltou a ficar corado, até que as discussões viraram uma rotina mais destruidora do que o antigo ramerrame doméstico. Ele primeiro se engraçou com a Marta, ou foi a Cinira? Ele comeu uma das duas, ou as duas juntas, enfim, eu sei que, depois que a porteira abriu, o Ciro traçou metade do Rio de Janeiro em pouco menos de um ano.

- BAIXAR DEDOS DE MUSICA DAVI FELICIDADE

A Ruth definhou. As mulheres cultivam a fantasia de que o verdadeiro amor é capaz de transformar os homens. O Ciro conseguiu ser pior que o Sílvio, porque o Sílvio nunca amou ninguém, mas o Ciro amava muito a Ruth. Começou no dia em que ela flagrou o Ciro na garçonnière do Sílvio com a mulher de um cliente dele. A Ruth arrombou a porta aos gritos, a amante se escondeu no.

Depois disso o Sílvio foi proibido pelo condomínio de emprestar o apartamento. A Ruth continuou gritando no corredor, enquanto o elevador descia. A Ruth ainda demorou uns vinte minutos para aparecer, possessa, parada na soleira, pronta para o quebra-pau. Só que o Ciro, gênio, um canalha mas gênio, era só carinho.

E continuou riscando o nome das moças do caderninho. Era uma base de três por semana, quatro, dependendo da carência que batia nele. Do Sílvio, eu esperava tudo, mas a frieza do Ciro com a Ruth foi chocante. Invejei o Ciro a vida inteira. Ele era muito bonito, daqueles caras que sabem jogar sinuca, futebol, peteca, pôquer, e ganham todas sem se esforçar. Arrastou a argentina para o quarto, foi cavalheiro. Eu me casei por causa dele.

Como era solteiro, fui ficando de fora dos almoços de domingo. Depois, as duas dedicaram anos a falar mal de nós dois. Pensei que ele estava emagrecendo daquele jeito por causa das noitadas e do excesso de tudo. Ele tinha acabado de fazer cinquenta anos.

Pensei no dia em que ele conheceu a Ruth na festa do Juliano, no casal bonito que eles formavam. O Ciro era o nosso Kennedy. Partiu seis meses depois desse encontro. Foram tantas, que eu só saía de casa com a roupa do corpo. Agora, carrego sempre um trocado para o assalto. Vai ver eram honestos. Pretos, de short, chinelo e sem camisa, mas honestos.

Bota a culpa no Monteiro Lobato. Eu tinha doze anos. Ela sobreviveu e eu dei para a Rita, achando que estava apresentando o céu para ela, mas a Rita amarrou a tromba porque queria uma Barbie.

Arranjou um médio, com um radiologista de Uberaba. O pai tinha uma clínica de imagem e o filho entrou para o ramo. Eles se conheceram numas férias dela em Ouro Preto. Meu genro é uma besta quadrada, do tipo que afirma que todo mal provém do stress. Sou acometido de um sono hipnótico toda vez que converso com ele. Pode ser em pé, sentado, no carro, numa festa horrorosa, dessas de fim de ano.

Mal sabem eles que só estou me protegendo da chatice do ignóbil do pai deles. Qualquer garoto de rua tem uma genética melhor que a de vocês. A Rita me visita no Rio duas vezes por ano, quer que eu mude para Uberaba, imagina.

Como se eu fosse resistir a Uberaba, e ela a mim, e eu aos filhos dela. Quando ela vem, procuro ser gentil, o idiota do marido sempre a tiracolo. Eu marco deles virem à noite, na hora da insônia, para ver se durmo no embalo da cantilena. Poderoso sonífero, o papo do meu genro. Mais cinquenta e sete passos e chego.

Adoro contar os passos. E tem que agendar, e tem que trazer o protocolo, e guardar a via, e entrar na fila.

Plano é igual INPS. O consultório do Mattos fica num edifício comercial aqui de Copacabana lotado de médicos senis. De vez em quando, um bate as botas. Que sirene é essa? É bombeiro, achei que era ambulância.

Estou ficando surdo. Acho que meus óculos ficaram em casa. Que sirene é essa agora? É garagem. A garagem do meu prédio. Nem contei direito, vim conversando. Com quem? Conversando com quem? Comigo mesmo, que é com quem eu gosto de conversar. Tem um carro subindo a rampa, vem no embalo, melhor acelerar as pernas. Eu estou na sua frente! Finalmente, reparou, vai frear, se atrapalhou. Como assim, se atrapalhou? Quantos anos tem essa incapaz?

Ela fez exame psicotécnico? Pode dirigir com essa idade? Achou o freio, estou ouvindo o cantar dos pneus. O carro continua andando; como assim, continua andando? Abre o olho, desgraçada, vem ver o que você aprontou. Um pulo. Dobro a perna direita, estico a esquerda e me jogo pra frente. Anda, a lataria no tergal! Andar deixou de ser um ato inconsciente. Aciono os comandos. Eu jogo o meu esqueleto em cima do pedregulho e ele solta? Quem foi o relapso que socou isso aqui? Cadê o empreiteiro?

A queda. A minha queda, aquela que vai me fazer ter saudade do dia em que eu contava os passos no caminho do consultório do Mattos. De uma hora para outra serei tia Suzel. O cotovelo esfola, o quadril sai do lugar e a cabeça se precipita no granito bruto do meio-fio e bate, como um badalo de sino de igreja. Preto, preto, preto, preto, preto, cadê branco?

Cadê as ondas do mar? O meu anjo da morte. Quem diria? Tem sangue saindo da minha cabeça. A perua do saiu do carro aparvalhada, o porteiro vem correndo. Estou bem, aqui. Foi bom lembrar dos amigos, nada é por acaso. Se houvesse outra vida, seria bom encontrar com eles, visitar o Ciro e o Sílvio no inferno, ia ser bom.

Nem o budista reencarnacionista acha que vai voltar igual ao que foi. Vou estar na planta, na baba da lagarta que devora a planta, na mosca que lambe a baba da lagarta que devora a planta.

Estarei por ali. Foi de bom tamanho, eu estava cansado. A indiferença daqui me cai bem. Falei muito mal das mulheres, elas merecem. Desintegro no ar sobre Copacabana. Uma vez, li que a morte era o momento mais significativo da vida, e é mesmo.

IRENE recebeu com frieza a notícia da morte do homem com quem vivera quinze anos de sua juventude. A filha telefonou aflita de Uberaba, estava no aeroporto, o pai jazia numa geladeira no IML.

Era assim que se referia a ele, o Equívoco. O cheiro ardia nas ventas, penetrando nos poros mesmo com as narinas tapadas. O assento rachado beliscou a coxa, obrigando-a a manter a perna sob vigília. O pesar rondava o rosto dos que, como ela, esperavam a vez. Absorta no limbo, assustou-se com um guincho agudo vindo do corredor. Levaram-na pra fora. Os urros na calçada a fizeram comparar o seu estado com o da gorda.

Cento e dezessete, chamaram. Depois de se apresentar no guichê, foi conduzida por um rapaz de jaleco encardido até o elevador; subiram em silêncio, evitando o olhar. Saltaram no terceiro andar. Uma comprida galeria de portas fechadas se estendia a perder de vista. O ar funcionava melhor ali dentro, mas o fedor se agravara. Numa daquelas gavetas escondia-se o fantasma, o seu fantasma. Teve vontade de vomitar.

Parado diante do segundo quadrado, no canto oposto à entrada, o rapaz fez sinal para que Irene se aproximasse. Sobre ela, o Equívoco. Nunca mais o vira. Aos poucos, a luz descortinou o nariz ainda mais adunco e as bochechas murchas. A papada e a calva unidas formavam uma moldura de pele enrijecida em volta do rosto.

O cinza-pedra das feições. O trilho se estendeu até o final, permitindo enxergar os ombros mirrados, os braços finos, a barriga de sempre e os pelos embranquecidos. Constrangeu-a vê-lo nu. Como era pequeno. A boca arqueada se juntara ao sulco que partia das abas das narinas, criando um aspecto maligno que jamais tivera. A passividade cômica de antes cedera lugar a uma carranca tensa. Teria se tornado um homem mau?

Os mortos nunca se parecem com os vivos, pensou. No casamento da filha? Enterro da Célia? De Neto? Na cama, com ele? Os quartos separados, o desconforto do par, a careca evidente, a raiva, a pança, o cansaço, a inércia e a brochura daquele homem. Do casamento, nenhum afeto sobreviveu. Ele devia ter virado padre.

O que a prendia a ele? Aquela garota?

O décimo terceiro da empregada? Queria viver, trepar, amar, e nem sabia se ainda restava tempo para aprender a fazer tudo isso. Casais bem mais realizados enfrentavam o seu fim. O Ciro e a Ruth. Ele é um zero, um nulo, um nada, como eu posso sofrer por um nada? Vera foi dura. A paciente ouviu ofendida. Aceitou o grupo. O pensamento vagara sem que se desse conta. Por que recordar daquela tarde? Foi objetiva. Sem mais, Irene Azevedo da Costa. Havia muito, para seu regozijo, o desquite, seguido de divórcio, extirpara o Soares de seu nome completo.

Quando botou os pés na rua, o asfalto fervia. Uma da tarde. Queria voltar para a toca, tomar um banho e jogar a roupa e os sapatos no incinerador. Ela havia acabado de limpar a craca do IML no longo banho de chuveiro.

Enterre seu pai sem autopiedade. Ele tinha mais de oitenta anos! Eu tenho setenta e três anos, mocinha! Eu é que devia te chantagear! O cortejo sairia às quatro. Era um Corsa velho, sem ar, com a marcha solta e um futum exasperante de odorizador de ambiente com sovaco de trabalhador. Quis saltar, inventar uma desculpa, mas teve pena do motorista. Mandou seguir. Mesmo respirando pela boca, o perfume azedo subia pelo paladar.

Capela Achou que estivesse enganada,. Evitou revê-lo. Desviou para sentar-se nas cadeiras alinhadas em fila, encostadas na parede.

Irene contava os segundos que a separavam da ducha que tomaria ao chegar em casa. Ninguém mandou flores, notou. E que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Chegando-se ao pri- meiro, disse: Filho, vai hoje trabalhar na vinha. Dirigindo-se ao segundo, disse-lhe a mesma coisa. Qual dos dois fez a vontade do pai? Disseram : O segundo. Decla- rou-lhes Jesus: Em verdade vos digo que publicanos e meretrizes vos precedem no reino de Deus.

Mateus 21 A lguns dos fariseus que estavam perto dele, perguntaram-lhe : A caso também nós também somos cegos? Por enquanto é suficiente dizer que se rompe o convênio do Sacerdó- cio transgredindo os mandamentos — e também deixando de cum- prir as respectivas obrigações e deveres.

Consideremos alguns exemplos. A penalidade é muito mais severa do. Toda pessoa normal precisa encontrar o companheiro adequa- do e ser selada para a eternidade num templo do Senhor. Ele deve esforçar-se para ser um esposo e pai perfeito, e fazer todo o possível para que sua família seja exatamente como o Senhor gostaria que fosse.

Tampouco os pais podem afirmar que cumpriram todas as suas responsabilidades porque alimentaram, vestiram, deram estudo e divertimento aos filhos. Converter e prevenir nossos vizinhos da divindade do Evan- gelho é um mandamento reiterado pelo Senhor : ". Mais recentemente o Profeta David O.

Igualmente, deixar de jejuar é pecado. No capítulo 58 de Isaías, o Senhor faz ricas promessas aos que jejuam e ajudam os necessi- tados. Consideremos os Dez Mandamentos. Isso tem grande significado. Devemos com freqüência fa- lar sobre ela e seus programas. Devemos ler sobre ela e suas obras.

Tampouco é suficiente evitar o adultério. Eles encontraram alguém sofrendo terrivelmente, preci- sando de ajuda que ambos poderiam ter-lhe dado, porém, atraves- saram a rua e evitaram envolver-se. Tivesse ele morrido, e parte da responsabilidade recairia sobre os dois. Inclusive o sofrimento que lhes infligiram passando ao seu lado e deixando-o sem socor- ro, ser-lhes-ia cobrado.

Disse ao populacho agitado : "De fato nada achei contra ele.

Clássicos Evangélico Nacional ~ O Peregrino

Mateus 27 Ele portanto espera muito de nós, seus filhos privile- giados. Ver Mateus 25 Servo mau e negligente. Cumpria, portanto, que entregasse o meu dinheiro aos banqueiros. Tirai-lhe, pois, o talento, e dai-o a quem tem dez. Mateus 25 , Como pudemos ver, uma característica comum é o potencial que têm para condenar o pecador. Mateus 25 Sonhadores alucinados conta- minam a carne. Um dos provérbios nos ensina que: "Porque, como pensa em sua alma, assim ele é.

Foi assim que se formou o universo. Se ele adora o Deus da 1. Henry Van Dyke — Clérigo e autor norte-americano, Um poeta de muita sensibilidade nos deu estas linhas: Uma face humana eu gosto de ver E delinear as paixões da alma.

Nela o espírito escreve, Como num rol, cada pensamento e sentimento. Isso aplica-se igualmente aos atos chamados "espontâneos" e "impensados" e aos deliberadamente exe- cutados. Tampouco é qual- quer pensamento, quando persistentemente alimentado, pequeno de- mais para ter seus efeitos.

É o nosso próprio eu. McKay disse: 2. James Allen, As a Man Thinketh. Recomenda-3e a leitura do livro todo.

E o homem, como senhor e dono de seus pensamentos, é o criador de si mesmo, o modelador e autor do meio. Iames A llen, A s a Man Thinketh. O homem de sucesso pensa que ele pode fazer.

MUSICA DEDOS BAIXAR DE DAVI FELICIDADE -

James A llen A s a Man Thinketh. Seus pensamentos haviam-lhe tirado a vida. De- ve ter sido um longo declínio, cada vez mais profundo, que a prin- cípio conseguiu controlar mas que depois, ao aproximar-se do fim da estrada, fugiu-lhe ao domínio. Um jovem casal brigou e discutiu tanto a ponto de terminar o casamento em divórcio. Ha- viam-se envolvido romanticamente com outro casal desviado.

O ho- mem e a mulher me escreveram, tentando amenizar as coisas e fa- zer com que eu concordasse e aceitasse as falsas conclusões a que chegaram. Quando tinha cerca de quatorze anos de idade, li a Bíblia de capa a capa.

A lma A inda outro livro, o livro da vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros. Journal of Discourses, V ol. Nesse dia podemos estar seguros de que seremos julgados ho- nestamente.

O Presidente J. Ele tudo sabe. Pessoalmente, acho que ninguém precisa con- servar um registro de minha vida, além do que eu mesmo conservo na mente, e que é parte de meu espírito. Como é confortador saber que no dia do julga- mento seremos tratados honesta e justamente, à luz do quadro total e verdadeiro, e segundo o discernimento do Juiz!

Os fiéis sem- pre souberam disso. O detector de mentiras pode ser considerado como coisa trivial. Determinada tinta tem sido usada como condutor de ele- tricidade. Um rapazinho de 8 anos numa cidade do leste pode captar uma conversa em casas a 32 metros de distância. Um policial armou o instrumento para 42 me- tros e conseguiu entender quase tudo o que foi dito. Um especia- lista colocou seu instrumento na azeitona de um martini que alguém próximo a ele estava bebendo ; outro o colocou no bocal do tele- fone ; outro no porta-luva do carro, na alça de sua maleta, e mesmo na cavidade do dente de um amigo.

À luz dessas maravilhas modernas, pode alguém duvidar que Deus ouve as orações e distingüe pensamentos secretos? Que coisa magnífica! As Escrituras indicam a existência de registros de nossas obras e palavras. Quando eu era menino, certo contador de histórias muito ima- ginativo, contou-nos sobre alguns lenhadores que se sentavam ao re- dor da fogueira do acampamento, no inverno, com temperatura bem abaixo de zero, e suas vozes simplesmente deixavam de ter som.

Mais tarde, quando chegavam os raios de sol da primavera, os sons congelados no inverno come- çavam a degelar e de repente estava de volta toda a conversa da- quela noite fria no acampamento.

O Senhor sabia do adultério daquela mulher, assim como conhecia toda a sua vida. Através desse mesmo conhecimento olhou os escuros recessos dos frios e corruptos corações dos escribas e fariseus que lhe trouxeram a mulher surpreendida em adultério.

Por exemplo, Ananias e Safira Ver Atos 5 conspiraram secretamente pa- ra mentir a Deus, mas Pedro foi inspirado a ler-lhes os pensamen- tos. Kimball reuniu-se com um grupo que planejava entrar no templo para realizar ordenanças.

Como ninguém respondesse, ele disse que. Um si- lêncio mortal se fez ouvir e ninguém se moveu ou respondeu.

Obrigado Jesus

Os homens de Deus têm direito a tal discernimento. Os grandes sermões que pro- feriu próximo ao início de seu ministério, revelaram um novo con- ceito.

Ele fora o autor das leis sob as quais viveram os filhos de Israel. Ele parecia agora esperançoso de que seu povo começasse a viver as leis mais elevadas.

Porém, a ira é um pecado do pensamento. Pode ser o precursor do assassinato. Revidar e brigar é humano, aceitar afrontas como fez o Senhor é divino. Eu, porém, vos digo : A mai os vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltra- tam e vos perseguem.

Mateus 5 Em seguida temos as leis morais. O pensamento que incitou o olhar, que provocou a cobiça, era maligno desde que começou. Desejar, ansiar — isso é cobiçar. O termo cobiça tem outras conotações além da sexual. Mui- tos pensamentos pecaminosos que provocam reações em cadeia fo- ram acalentados na mente do transgressor antes que o pecado fí- sico fosse cometido.

Somente o homem, dentre todas as criaturas da terra, pode mudar seus padrões de pensamento e tornar-se o arquiteto do seu destino. Ele ria da idéia de que a foto fosse nociva à sua moral. Porém, certo dia, anos mais tarde, ele veio visitar-me com a alma manchada. O mundo parecia haver desabado sobre a ca- beça. Deve ter havido outros fatores, mas certamente esse fez parte do todo.

No primeiro ano o vendedor espalhou sobre a mesa fotografias amplas e colo- ridas de moças parcamente vestidas. Eram deslumbrantes, mas escandalosas. Nos anos seguintes aquele homem nunca mais nos mostrou qualquer outra foto daquele tipo. Seria bom que cada um de nós observasse o mesmo princípio, evitando assim que nossos ideais sejam manchados e essa mancha se comunique a nossa alma eterna. Resumindo, deixemos nossos pensamentos repousar sobre coisas sagradas.

Esse é o poder — e o resultado — de nossos pensamentos. Demasiadamente Tarde Talvez o Livro de Mórmon contenha os melhores exemplos e referências sobre esse assunto. E os nefitas continuaram a praticar iniqüidades, até serem deixados sozinhos, para "recalcitrar contra os aguilhões. Em outras palavras, os pecados apresentam diversos graus de seriedade. Tem que receber o Espírito Santo, ter os céus abertos a ele e conhecer Deus, e depois pecar contra ele. Quando um homem começa a ser inimigo desta obra, ele me per- segue, procura matar-me e nunca deixa de ter sede do meu sangue.

Ele apanha o espírito do demônio — ó mesmo espírito possuído por aqueles que crucificaram o Senhor da V ida — o mesmo espírito que peca con- tra o Espírito Santo. King Follet. Também pode ser con- siderado como o sangue de outras pessoas a quem o assassino mata deliberadamente.

O sangue que Joseph Smith derramou na cadeia de Carthage era inocente — pelo menos ele disse : "Para com Deus e os homens, tenho a cons- ciência limpa. O Presidente Joseph Fielding Smith nos deu ainda mais escla- recimentos sobre o assunto: Consentir na morte de Jesus Cristo e expô-lo ao ridículo é con- siderado pelas Escrituras como derramamento de sangue inocente.

Isso se coaduna com os ensinamentos que encontramos em Hebreus : É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados e provaram o dom celestial e se tornaram participantes do Espírito Santo.

E provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro. Hebreus Sinceridade, fé, arrependimen- to e dignidade devem caracterizar o recipiente da ordenança. Deve-se perseverar na fé. Alma 39 Até que ponto o Espírito Santo deve ter "habitado na pessoa"?

O Presidente Joseph F. Pecar contra o Espírito Santo, o Espírito da Verdade, o Confortador, a Testemunha do Pai e do Filho, negando-o e afrontando-o deliberadamente, após tê-lo rece- bido, caracteriza esse pecado. Smith, Gospel Doctrine, p. A amargura sabe envenenar a mente e matar o espí- rito. Nunca devemos nos arriscar a permitir que tais situações se tornem delicadas e perigosas,, pois a qualquer momento alguém pode escorregar e passar para o outro lado.

II Pedro Pelas palavras de Joseph Smith, citadas acima, notamos que ". Ver Mo- roni 10 Smith, The lmprovement Era, julho de , p. Ele referia-se àquele tes- temunho infalível, pois os olhos podem ser enganados, assim como qualquer outro sentido físico, mas o testemunho do Espírito Santo nunca falha. E quanto a magnificar o chamado recebido, implica numa integridade tal, que pouquíssimos homens conseguem alcançar na mortalidade.

E isto é de acordo com o juramento e convênio que pertence ao Sacerdócio. A palavra "receber" nessas frases tem profundo significado. Receber nesse sentido significa mais do que apenas aceitar casual- mente, mas magnificar, desenvolver e tornar efetivo.

O versículo 41 talvez nos atemorize à medida que vamos com- preendendo as suas inferências, contudo, dentro de nossa fraqueza e da incapacidade de corresponder ao que de nós se deveria esperar, rejubilamo-nos de que a palavra "inteiramente" tenha sido inserida. Parece implicar também que desde que a pessoa de fato se esforce para executar a parte que lhe ca'-e, embora continue falhando, ainda assim lhe restam esperanças.

Tendo negado o Santo Espírito, depois de o haver recebido e ne- gado o Filho Unigênito do Pai, crucificando-o em si mesmos e enver- gonhando-o abertamente. Esses negam o Filho e o evangelho do arrependimento, e por- tanto perdem o poder do arrependimento. E o seu fim, nem o seu lugar, e nem o seu tormento, nenhum homem conhece. Como maquinaram cenas. Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p. Smith, Cospe Doctrine, p.

O exemplo do primeiro homicídio é instrutivo. Moisés 5 Tornou-se rebelde, "carnal, sensual e diabólico". Como castigo o Senhor destinou o iníquo Caim a tornar-se fugitivo e vagabundo, e colocou-lhe uma marca que revelaria a sua identidade. Wilson sobre a vida de David W.

Desse livro cito um extrato de uma car- ta escrita por Abraham O. Smoot contando suas recordações do re- lato de David Patten ao encontrar-se com "uma pessoa invulgar e que se apresentou como sendo Caim. Estava cavalgando em minha mula quandc de repente notei um personagem bastante estranho caminhando ao meu lado.

Eu estava sentado na sela, e ele tinha a cabeça na altura de meus ombros. Tinha a pele bem escura. Lycurgos A. W ilson, Life of David W. Pedro declarou que seu corpo ainda continuava na tumba. Ver Atos 2 Smith, Ensinamentos do Profeta Ioseph Smith, p.

Também, infe- lizmente, os homens têm que tirar vidas durante a guerra. Alguns de nossos jovens escrupulosos têm se sentido perturbados e preo- cupados ao serem compelidos a matar. Apresentamos a seguir um extrato da mensagem da Primeira Presidência datado de 6 de abril de O mundo todo encontra-se em meio a uma guerra que parece ser a pior de todos os tempos.

De cada lado acreditam estar lutando pelo lar, pelo país e pela liberdade. Essa é uma grande crise da vida do homem neste mundo. Gênesis Êxodo 21 Levítico 24 Karl Adolf Eichmann — Líder nazista. Reinhard Heydrich — Líder nazista. Em seu juízo perfeito, apenas um tolo chegaria sequer a pensar em tirar a própria vida. A Igreja e o Homicida Às vezes, pessoas que cometeram homicídio vêm a Igreja so- licitando batismo, tendo compreendido, pelo menos em parte, a enormidade do crime que praticaram.

Assim é com os assassinos. Mesmo o homicida deve arrepender-se, corri- gir seus caminhos e formar um crédito a seu favor. Portanto, como medida preventiva contra o homicí- dio, deve-se evitar a raiva, o ódio, a, avareza, a ganância e todos os outros impulsos que podem originar o ato. A pessoa normalmente comete o ato em pensamento muitas vezes antes de deliberadamente co- meter o crime. Seriam pa- lavras portentosas. Portanto, foi dada a alternativa do Senhor — arrependei-vos ou perecereis! Mosiah 15 A lma 41 Isso é bem com- preensível, uma vez que.

Mosiah 3 Da mesma forma, Sodoma e Gomorra, as cidades das pla- nícies, foram destruídas. Também tiveram a oportunidade de se arrepender, mas ignoraram as vozes admoestadoras dos profetas.

Como, porém, haveríamos de entoar o canto do Senhor em terra estranha? Salmos Os judeus chegaram inclusive a crucificar seu Mestre e Senhor. E o que se pode dizer quanto à posteridade de Lehi, que ra- pidamente. Por persistir na iniqüidade, precisaram ser castigados diversas vezes e finalmente foram eliminados.

Parece-nos ouvir os lamentos de Mórmon ao chorar por eles: Ó formoso povo, como pudestes vos apartar dos caminhos do Se- nhor? Ó formoso povo, como pudestes repelir aquele Jesus que tinha os braços abertos para vos receber?

Mas eis que caístes, e eu choro vossa perda. Mórmon Visitamos algumas das pequenas casas maias de hoje. O telhado é de colmo feito de capim que cresce nos matos ubíquos.

E novamente perguntei-me : Por que eles hoje rastejam pela terra quando no passado tinham seus observatórios e pesquisavam os céus? A resposta chega dos dias antigos ressoando com grande força: Porque esqueceram o propósito da vida! Esqueceram o mo- tivo pelo qual vieram à terra, habitaram-na e viveram uma vida ter- rena.

Esse livro deixou-me intrigado. Li-o diversas vezes. Ficamos em pé sobre a cratera, e a menos de um metro abaixo de nossos pés estava a massa incandescente e re- voltosa de lava.

Os políticos, os abastados, os figurões, vinham de Roma para Pompéia às margens do Me- diterrâneo. As ruas de pedra mostram as marcas das rodas das bigas. Fomos até as padarias onde os alimentos eram preparados. Fo- mos às casas onde moravam. Chegou um tempo que ela simplesmente tinha de ser destruída. A lava come- çou a descer pela borda daquela estrutura cônica e a levar consigo tudo o que se encontrava no caminho, queimando as vinhas, as hor- tas e algumas das casas.

Destruía tudo o que encontrava pela fren- te, e algumas das pequenas cidades foram completamente queima- das ou soterradas. As pessoas morreram sufocadas. Os corpos foram encontrados mais tarde agarrados uns aos outros num abraço mortal. Pompéia foi destruída.

DE DEDOS - BAIXAR DAVI MUSICA FELICIDADE

Eu acho que sei o motivo. Foi prometido às grandes nações das Américas que nunca seriam destruídas desde que servissem a Deus. O demônio reina ; e o pecado predo- mina nos círculos políticos, religiosos e sociais.

O mal é chamado bem e o bem é chamado mal. E disse: Farei isto : derribarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens; E direi à minha alma: A lma, tens em depósito muitos bens para muitos anos : descansa, come, bebe e folga. Argu- mentam que muitas pessoas adquirem suas posses através do crime, e que ignorando os mandamentos do Senhor, sempre obtêm lucros.

Esse conceito centraliza-se erroneamente em curtos períodos de tem- po. Ele organizou um plano de ordem natural — um programa de causa e efeito. É inconcebível que Deus desejasse punir ou ver seus filhos sofrendo dores ou privações. Ele é um Deus de paz e tranqüilidade. Ele oferece alegria e progresso, felicidade e paz. Através de Eze- quiel o Senhor pergunta : "Acaso tenho eu prazer na morte do per- verso? E o salmista adicio- na : "Caiam os ímpios nas suas próprias redes.

Sim, inevitavelmente as causas trazem efeitos. De modo similar, po- demos aprender obedecendo às leis de Deus, ou através do sofri- mento. Sempre tem de existir um bode expiatório. Se caem, pro- curam quem os empurrou.

E no final das contas culpamos o Senhor pelas nossas desgraças, e raramente lhe agradecemos pelo sucesso que alcançamos. Alma disse ao filho, Corianton : ". Mórmon 4 O remorso e a agonia se fazem sentir. Mas fui torturado com eterno tormento, estando minha alma extre- mamente perturbada e atormentada por meus pecados. E durante três dias e três noites fui atormentado pelas dores de uma alma condenada.

Vê-los tremer e agitarem-se espiritualmente no sofrimento que lhes é imposto, é conhecer algo do que o Senhor se referiu quando disse que seus sofrimentos seriam agudos e inten- sos. Infelizmente muitos transgressores cauterizam suas consciências e continuam a pecar até o dia do julgamento.

Urna das características mais tristes do mau procedimento é que ele afeta dolorosamente as vidas daqueles que amam o pecador — filhos inocentes, esposa leal, marido ultra- jado e pais idosos. Todos sofrem as penalidades. Ele julgava ter sido muito esperto nas manobras ile- gais que realizara, e que só fora preso graças a algum erro, ardil ou destino. Esperou até o momento que achou propício na tranqüilidade da noite para tirar a barra e espremer-se pela abertura, e ao consegui-lo, pensou: Ah! Finalmente estou livre!

Ao sentir o frescor do ar que vinha de fora o mes- mo pensamento assaltou-lhe a mente : Estou livre!

Sou esperto. Nin- guém me pode prender ; ninguém me pode obrigar a cumprir uma sentença. Porém, a fuga fora bem planejada. Encontrou uma corda, arre- messou-a acima do muro e a ponta prendeu-se em alguma saliência. Com a ajuda da corda escalou o muro. Sou bastante esperto para ludibriar os perseguidores. A essa altura os holofotes das tor- res acenderam-se, os guardas começaram a atirar e o alarme soou. Escondeu-se na cida- de até seus perseguidores perderem-lhe o rasto por completo.

Mais tarde foi para o leste do estado e um criador o empre- gou para pastorear carneiros. Ninguém parecia reconhecê-lo. Mudou a aparência deixan- do crescer a barba e o cabelo. Passaram-se os meses. A liberdade que festejara transformara-se em correntes. Por fim o fugitivo deixou os carneiros, foi à cidade e demitiu-se do emprego.

Em seguida voltou à cidade grande e entregou-se aos homens da lei dizendo-lhes que estava pronto para cumprir a pena. Esse homem aprendeu quanto custa o pecado. Mas como seria se esse castigo ou pagamento pudesse ser saldado de imediato, ou "a vista? Contudo, paremos um pouco e examinemos alguns desses preços. É quase certo que se todas as recompensas pelas coisas boas que praticamos estivessem de imediato disponíveis e todas as pe- nalidades referentes às transgressões fossem de pronto fixadas e impos- tas, raramente haveria um segundo pecado — mas isso viria a intervir com o livre arbítrio do ser humano.

A morte vagarosa tem suas vantagens sobre o desenlace repen- tino. O Caminho Que Nos A fasta do Pecado Talvez a parte mais triste no que se refere ao pecado, seja que o nosso mau procedimento afeta dolorosamente as vidas alheias. Filhos inocentes, esposas ultrajadas, pais, maridos — todos sentem a intensidade da desgraça. O Élder Adam S. Bennion 1 sentiu-se assim por causa de um amigo. Ouvi-o contar a história quando eu era ainda bem jovem, e nem os anos possibilitaram-me esquecê-la.

Em outras pa- lavras, o Grande Médico fez o remédio do arrependimento adequa- do para contra-atacar a enfermidade do pecado. Adam S. Bennion — Antigo membro do Conselho dos Doze, Ela tem longo alcance e abrange tudo. Todo homem deve seguir o mesmo trajeto, seja rico ou pobre, instruído ou' ile- trado, alto ou baixo, príncipe ou plebeu, rei ou homem do povo. Charles A. Callis — Antigo membro do Conselho dos Doze, O Primeiro Passo Antes que os muitos elementos do arrependimento possam fun- cionar precisa haver o primeiro passo, que é o ponto em que o transgressor conscientemente reconhece seu pecado.

Essa falha em reconhecermos nossos erros nos retarda o pro- gresso, paralisa a vida. O Profeta David O. McKay expressa esse pensamento nestas palavras: Que progresso pode haver para um homem inconsciente de suas faltas? Compadecem-se também de quem ignora a própria ignorância!

DE DAVI MUSICA DEDOS BAIXAR FELICIDADE -

Assim que nos conscientizamos da gravidade do pecado que es- tamos cometendo, podemos condicionar a mente a seguir um proces- so tal que nos livre dos seus efeitos perniciosos. Alma tentou trans- mitir essa idéia a Corianton quando disse : ". Alguns culpam a Deus e suas leis pelas desgraças que lhes sucedem, e eliminando Deus e a Igreja de suas vidas, parecem sentir-se aliviados. Alguém disse : "Racionalizar é descer os ideais ao nível da conduta pessoal. Arrepender-se é elevar a própria conduta ao nível dos ideais que se sabe serem verdadeiros e valiosos.

Moroni diz : "E pelo poder do Espí- rito Santo podeis saber a verdade de todas as coisas. Até e a menos que se cauterize a consciência, tal influência é um guia seguro e fidedigno. O nascimento ou renascimento da consciência é efetuado pelo ensino e treinamento. Os pais devem ensinar os filhos a conhecer o Senhor e suas leis. Para que alguém se sinta triste pelos pecados que cometeu, precisa conhecer algo sobre suas sérias conseqüências, e para que possa aprender essas coisas temos as Escrituras, os líde- res da Igreja e os ensinamentos dos pais.

Os pais que deixam de en- sinar os filhos, conforme o Senhor nos instrui em Doutrina e Con- iênios, 68 , envolvem-se em grave problema. Igualmente, de- vemos ser sempre exortados por nossos líderes : "Exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado. E à medida que a criança vai crescendo, sua consciência é estimulada e desenvolve-se-lhe o conhecimento do que é certo e do que é errado através das reuniões familiares, do pro- grama de ensino familiar e das outras organizações e programas da Igreja.

Al- guém, com muita propriedade comentou que "a consciência é a centelha espiritual que Deus colocou em todo homem com o propó- sito de salvar-lhe a alma".

Alma 42 O Espírito Santo pode desempenhar papel importante na tarefa de convencer o transgressor dos erros que comete. Porém, o verdadeiro arrependimento é marcado pela tristeza divina que muda, transforma e salva. Essa é a tristeza do mundo. O homem verdadeiramente arrependido sente-se triste antes de ser detido. Sente-se triste mesmo antes de seu segredo ser conhecido. Procura voluntariamente reparar o mal que cometeu. O arrependimento verdadeiro implica em que a pessoa reconheça seus pecados e por si mesma, sem pressões externas, comece a se transformar.

De outro modo, por que iria escondê-lo e conservar o erro em segredo? Durante a entrevista disse-lhes : "Sim, é errado dois membros da Igreja casar-se fora do templo.

Porém, o que vocês fizeram e que os impediu de ir ao templo é infinitamente pior. Ela infringe uma lei fundamental. Esse terrível pecado pouco os preocupava.

Seus va- lores estavam deturpados. Se eu lhes desse plena responsabilidade, deixando-os livres para ir, vocês iriam? Algum ajuste? Ana- lisem o caso. Vocês acham que estariam em melhores condições se fossem libertados? Precisa haver mais do que um reconhecimento verbal. Precisa haver um novo despertar, um fortalecimento, um renascimen- to. Outro jovem casal demonstrou estranheza semelhante à gravi- dade do pecado, especialmente do pecado sexual.

Vieram conversar comigo em junho, tendo noivado formalmente em dezembro do ano anterior, e nesse intervalo de seis meses repetiram com freqüência o pecado sexual. Estavam prontos para casarem- se no templo sagrado, sem pensar que estariam maculando a casa do Senhor. Ficaram muito aborrecidos quando o casamento teve de ser adiado a fim de que houvesse tempo sufi- ciente para o arrependimento. Eles haviam racionalizado tanto que o pecado quase deixou de existir. Queriam fixar uma data a todo custo, a primeira em que lhes fosse possível marcar o casamento no templo.

É incon- cebível que desconhecessem a gravidade do pecado que cometeram. Convenceram-se a si mesmos contra a verdade, ignorando-a por completo. Cauterizaram a consciência como que com um ferro em brasa. Enos transmitiu-nos um bom exemplo. Quando viu que estava bem longe na floresta, onde ninguém poderia ouvi-lo, começou a condenar-se dos pecados que cometera. A vida eterna começou a avolumar-se, como algo extre- mamente desejado, e é ele quem diz : ".

Orei o dia inteiro e, até depois de ter anoitecido, continuei a elevar a minha voz, para -que ela chegasse ao céu. O arrependimento começou a nascer. Suas dores foram estranhas e amargas.